Arquivo da categoria: Outras artes marciais

Jiu Jitsu Brasileiro

Já falamos sobre o Jiu Jitsu japonês (ou Jujutsu, como preferirem), o sistema de combate que os Samurai desenvolveram para situações onde uma espada não estava disponível ou não era suficiente. A fama do Jiu Jitsu japonês era mundial, isto já no século XIX. Existem explicações: O Japão foi até pouco depois da metade do século citado uma nação fechada, com uma cultura pouco conhecida pelos ocidentais, considerada ‘bizarra’ por muitos (‘exótica’ pelos mais educados). Sabia-se que era um povo guerreiro, Continuar lendo

As grandes escolas do ‘Boxe’ de Okinawa

Por Helton dos Santos

Nota: O termo Te, que compõe a palavra Kara-Te, costuma ser traduzido como Mão. Neste artigo, usando uma licença poética, resolvi traduzi-lo como Boxe, para nomear os estilos antigos de Karatê, quando a arte ainda se chamava simplesmente Te ou Tode, mas mantenho a tradução ‘mão’ quando compõe a palavra Karatê moderna. Meu raciocínio é o seguinte: Algumas escolas de Wushu (Kung Fu) as vezes são chamadas de Boxe chinês por ocidentais; O Muay Thai é o Boxe Tailandês; Ambas usam chutes também, mostrando que o significado de Boxe vai além daquele atribuído à Nobre Arte, o Pugilismo moderno. Já li artigos que tratavam o Savate francês como um tipo de boxe em que se usam os pés. Assim sendo, o Te é, no meu modo de ver, uma espécie de Boxe Okinauense, tanto quanto o Muay Thai é Boxe Tailandês. E Tode, que costuma ser traduzido como “Mãos Chinesas”, vira simplesmente “Boxe chinês”, em japonês. Não sei como o Boxe é nomeado no Japão, por isso mesmo friso que a tradução de Te como Boxe é uma licença poética minha (não sei se mais alguém já fez isto antes de mim). 

O arquipélago de Okinawa (também conhecido em português como Ilhas Léquias, nome que deu origem ao termo leque!), que fica ao sul do arquipélago japonês, era sede de um reino e de uma cultura própria, que antigamente não era ligada exatamente ao Japão. Ali existia o reino de Ryukyu, que chegou a tentar se filiar à China, no século XVII, mas acabou dominada pelo Clã Shimazu (uma importante familia Samurai durante o Xogunato Tokugawa) a partir de 1609, que exigiu o desarmamento da população civil, assim como passou a recolher impostos para o governo japonês. Em 1879, com o governo Meiji, as ilhas foram oficialmente anexadas pelo Japão, após uma contenda com a China, que foi resolvida pelo intermédio do ex-presidente estadunidense Ulysses S. Grant, que decidiu em favor ao Japão. Continuar lendo

Beleza

Acho que não há quem não concorde que o Budô tem uma beleza intrínseca à sua prática. Os movimentos, os golpes, o treinamento, costumam possuir uma plasticidade soberba. Fora isto há a beleza da filosofia, dos ensinamentos. Alias, não só os Budô, como as artes marciais da China, Coreia, Tailândia, do Ocidente… a luta pode ser muito bonita. Mas sou suspeito de falar, claro… Rs. Mas que tal vermos alguns vídeos que podem mostrar muito bem tudo o que acabei de dizer? Continuar lendo

Artigo antigo sobre o reiho

Um artigo que beira o engraçado, escrito em 1934, quando não havia ainda muito conhecimento sobre Jujutsu no Brasil. A qualidade é sofrível, mas dá pra ler. Percebe-se como tudo era muito novidade ainda – outros tempos, sem Internet, sem TV ainda, quando os costumes de outros povos eram chamados de ‘grotescos’ sem pudores. Informações demoravam pra chegar, e muitas vezes vinham recheadas de erros.

Pela descrição, fica claro que o artigo fala sobre o reiho (cerimonia de saudação) do Sumô, e não do Jujutsu. Mas pode ser que nalgum estilo de Jujutsu tal rito fosse observado, vai saber. Existem apontamentos, por exemplo, que dizem que o Takenouchi-Ryu Jujutsu teria surgido da fusão de técnicas de espada curta com Sumô, sendo que neste caso podem ter sobrevivido costumes desta tradicional luta japonesa de força.

Continuar lendo

Começando a treinar Muay Thai

Minha esposa praticava Muay Thai antigamente, e eu, muito chato, ficava pedindo pra ela voltar a treinar… Claro que gostaria que começasse Aikidô comigo, mas não é a praia dela. Então, neste começo de ano, ela acabou aceitando, e principalmente para incentivar, comecei a treinar com ela. Fizemos nossa inscrição hoje numa academia aqui da cidade.

Eu confesso que Continuar lendo

Competição de Aikidô?

A título de curiosidade: como é uma competição do Shodokan Aikidô? Os vídeos abaixo podem dar uma noção do que esperar. Particularmente acho que parece mais Judô do que Aikidô. Mas talvez se o Judô não fosse competitivo ele iria parecer mais com o Aikidô, não? O fato é que treinar um Kote-gaeshi no Dojô, um ambiente controlado, é uma coisa. Se você tiver que usar ele na prática, na vida real, com o caos de uma briga e uma mão tentando quebrar seu nariz, a coisa muda de figura. Talvez na pratica as coisas fossem ficar um pouco mais parecidas com isso: Continuar lendo